Novo site

26 Março 2009 at 8:11 pm (Uncategorized) (, , , , )

A Comunidade Cultural Virtual tem agora um novo site. O endereço principal mantém-se em www.accvirtual.org mas a plataforma deixa de ser um blog e passa para uma outra plataforma com muitas mais funcionalidades. 

Consequentemente, este blog vai deixar de ser actualizado. Nos próximos tempos apenas faremos referência às actualizações efectuadas no site principal. Convido desde já todos os leitores a ler e participar activamente no novo site, assim como a integrar a nossa Comunidade como rede social aqui.

E um até já!

Anúncios

Permalink Deixe um Comentário

Workshops sobre tecnologia e Second Life

17 Março 2009 at 3:20 pm (Notícias) (, , , )

Estão abertas as inscriçoes para formações em Second Life

Workshops em tecnologia

A FDTI (Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação) promove a realização de 6 workshops na área das novas tecnologias \”Caça ao tesouro virtual\”, \”Mixing realities – Chromakeying in real and second lives\”, \”Moda em second life\”, \”Building\”, \”Machinima\” e \”Fluids\”.

Todos os Workshops decorrem durante a tarde de dia 19 de Março no Centro de Congressos de Lisboa (antiga Fil). O Programa completo pode também ser consultado aqui.

“Caça ao tesouro virtual”

Horário: 16h00 -18h00
Entidade responsável: FDTI – Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação
Objectivos: O porquê das comunidades virtuais e a importância das mesmas.
N.º máximo de participantes: 25 jovens por sessão

“Mixing Realities – “Chromakeying in real and second lives”
Horário: 14h00-16h00; 16h00 – 18h00
Público-alvo: FDTI – Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação
Objectivos: As técnicas de filmagem no mundo real que se podem aplicar a um mundo interactivo e virtual, onde os personagens, eventos e ângulos cinematográficos podem ser controlados pelo utilizador. Pretende-se a mistura entre as realidades “Mixing realities”.
N.º máximo de participantes: 15 jovens por sessão
“Moda em Second Life”
Horário: 14h00 – 16h00; 16h00 – 18h00
Entidade responsável: FDTI – Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação
Objectivos: Demonstração da Second Life como espaço social; A importância da imagem virtual e da fotografia como promoção virtual.
N.º máximo de participantes: 25 jovens por sessão
“Building”
Horário: 16h00-18h00
Entidade responsável: FDTI – Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação
Objectivos: Controlo e edição das ferramentas de modelação tridimensional.
N.º máximo de participantes: 25 jovens por sessão
“Machinima”
Horário: 14h00-16h00
Entidade responsável: FDTI – Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação
Objectivos: Controlo de movimentação de câmaras e captura em ambiente virtual.
N.º máximo de participantes: 25 jovens por sessão

Características: Os participantes têm que ter registo activo no Second Life; Experiência de navegação em Second Life e com Adobe Premiere. Público-alvo: Jovens com idade superior a 18 anos

Entrada livre. Sujeito a pré-inscrição através de e-mail para: fdti@fdti.pt

Permalink Deixe um Comentário

Câmara Municipal de Aveiro no Second Life

13 Março 2009 at 3:46 pm (Uncategorized) (, , , , , )

A Câmara Municipal de Aveiro vai aderir à comunidade virtual Second Life, no âmbito do Programa «Aveiro Criativo», que comemora o Ano Europeu da Criatividade e da Inovação.

É, pois, nesse sentido que a autarquia irá promover o Concurso de Ideias para o Second Life. Também no domínio da informática, o «Aveiro Criativo» irá estabelecer o WinDesign: Prémio Adereço «Aveiro».

Além disso, irão decorrer, durante todo o ano, inúmeras actividades em áreas como a Cultura, a Juventude, a Informática, o Design, a Educação, entre outras, com o fim de «estruturar, desenvolver e concretizar iniciativas que fomentem a criatividade, a inovação e o pensamento em áreas», segundo avança a autarquia.

Fonte: http://www.i-gov.org/?article=9902&visual=1

Permalink Deixe um Comentário

Workshop ORGANIZAÇÕES CULTURAIS ON-LINE

3 Março 2009 at 11:34 am (Actividades, Mundo Virtual, Notícias) (, , , , , , , , , , , , , , )

Workshop

Workshop

Através duma iniciativa do Museu da Presidência da República, a ACCV vai participar no workshop “ORGANIZAÇÕES CULTURAIS ON-LINE: panorama tendências e ferramentas” que se inicia amanhã dia 4, até 6 de Março.

Do programa fazem parte apresentações sobre as novas tendências da internet,  Web 1.0/ Web 2.0 /Web 3.0, “ferramentas” das organizações  como blogs, microblogs, redes sociais, wikis, feeds, widgets e mashups;  ferramentas colaborativas de alojamento e partilha de videos, imagens e documentos, Podcasting e videocasting e Second Life, assim como usabilidade e da acessibilidade; sendo que a ACCV vai apresentar as potencialidades do Second Life e dos projectos que podem ser concretizados a nível internacional.  

Mais informações, programa e inscrição podem ser obtidas aqui e  aqui.

Permalink 2 comentários

Reis & Aldo – Votação online

1 Março 2009 at 4:55 pm (ARTIST) (, )

Reis & Aldo estão a participar dum concurso da VIVO para artistas de todo Brasil.

Para votarem é clicar no Votar no perfil, na página  http://reis.conexaovivo.com.br/

Aproveitem para conhecer os artistas, as músicas,  vídeos, agenda, novidades e comentários!

Um concurso bem tecnológico como gostamos… 

Hoje é último dia de votações mas vamos provar que mostrar o talento no SL pode fazer a diferença a qualquer artista.

Basta ir no link acima e clicar em “ Vote neste perfil” que aparecerá uma janela para confirmar com um código que deve ser digitado em letras

maiúsculas e depois aparecerá já a confirmação do voto.

Permalink Deixe um Comentário

Reis & Aldo Brizi

28 Fevereiro 2009 at 3:26 pm (ARTIST, EVENT) (, , , , )

O duo irá actuar – hoje, dia 28 Fev pelas 23h (3 SL) na ilha Alma

Não percam. 

http://reis.conexaovivo.com.br/

http://www.aldobrizzi.net/

 

Song “Scrittura”

vocals Reis 

music and electronics Aldo Brizzi

From the artists:

““Loving Glance” concert tour in Brazil on March, September, November; Chile and Bolivia on October; : in Europe on June, July, December 2007, Mexico on March 2008; Europe May 2008; USA and Mexico in October 2008.

Electronic music produced by Aldo Brizzi with live vocals expanded beyond melancholy female voice by Reis. 

It developes into a wide range of electronic and electronic-influenced music and combines elements of trip hop, IDM, and classical into brazilian blends such as bossa nova. Tempo varies from quite downtempo to very fast in breakcore-derived and drum’n bass styles. 

Melodies and harmonies create a rich and tense sound that emphasizes the erotic, mystic and poetic themes of the lyrics and their realities, stranger than dreams. 

Reis live presence is etheral and hypnotic. She sings lyrics in English, Portugues, Italian, French, with the charme of her typical Brazilian voice. 

 

Reis is a singer from Bahia, Brazil. Main female role to the pop opera Rei Brasil, in celebration of Brazilian 500th anniversary, with an audience of 6,000 people on each performance. In 2002 Reis recital “Brizzi do Brasil”, two months at Teatro XVIII, in Salvador, featuring Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Virginia Rodrigues, Margareth Menezes and Zeca Baleiro, among others as special guests. Tours in Italy, France, Germany, UK, Chile, Bolivia and Egypt (Cairo Opera House).

Special guest in in 2004 Manuel Paulo’s album (EMI), togheter with Arnaldo Antunes and Arto Lindsay. In 2005  release of Reis debut album “Aço do Açúcar” composed and produced by Aldo Brizzi. In 2005 world première of “Mambo Mistico” musical produced by Theatre de Chaillot – Paris, 55 performances with Reis as main character.

 

Aldo Brizzi is a composer and producer born in Italy and living in Brazil. Prizes Trofeu Caymmi – Brazil 2004 (the cd “Brizzi do Brazil” as best recording of the year 2003), Les Souffleur – Paris 2005 (the musical “Mambo Mistico” as “best music for theatre 2004-05”). In December 2002 releases the CD: “Brizzi do Brasil” (Eldorado Brasil/Sony). Featuring Caetano Veloso, Gilberto Gil, Teresa Salgueiro, Tom Zé, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes and Olodum. The track “Mistério de Afrodite” was selected from the A. Hepburn Foundation for the Unicef compilation 2005.

In 2006 Madredeus vocalist Teresa Salgueiro releases the album “Obrigado” (platinum disc in Europe) with two tracks composed and produced by Aldo Brizzi (EMI).

 

 

 

 


Permalink 1 Comentário

Sponsors e Parcerias

16 Fevereiro 2009 at 3:30 pm (Uncategorized) (, , , )

Procuramos Sponsors e parcerias para poder representar cada vez melhor a cultura Portuguesa dentro do Second Life e na internet em todas as suas potencialidades.

Caso esteja interessado pode nos contactar pelo email accvirtual@gmail.com ou pelo telefone 962706631

Permalink Deixe um Comentário

Ilha de Ajuda e Nascimento no SL – em português

12 Fevereiro 2009 at 2:26 pm (Actividades, AMIGOS, EXPLORE, Notícias, PLACES) (, , , , , , , )

Todos os que já lá andamos, há mais ou menos tempo, sabemos que não é fácil a integração e adaptação ao Second Life®.  As primeiras horas e dias são geralmente passadas em ilhas de ajuda, que não obstante a quantidade de informação e recursos que têm, nem todos os utilizadores as entendem por igual. Alguns passam aí minutos ou horas, outros passam dias. Alguns cruzam-se com mentores, e se falarem português pode ser que tenham a sorte de encontrar alguém que os ajude e eles percebam bem. Mas na verdade… muitos são os que se desmotivam com as dificuldades iniciais. Sobretudo se sentem falta de ajuda ou informações em língua portuguesa, o que tem sido um dos grandes problemas de quem nasce numa “Help Island” dos Linden Lab®.

Por desde há muito me ter apercebido dessas dificuldades, e porque sempre quis fazer algo para as combater é com imenso agrado que abracei um projecto que permitisse que todos os portugueses e falantes de português tivessem finalmente uma ilha de ajuda e nascimento falada totalmente em português.

Aquele que tem sido o trabalho desenvolvido na ilha Tagus traduz-se na preparação duma ilha onde qualquer residente possa se deslocar para esclarecer algumas dúvidas, ou simplesmente desenvolver mais algumas das potencialidades da plataforma.

E para todos aqueles que não conhecendo a plataforma, têm algum interesse no assunto ou gostariam de conhecê-la podem já nascer directamente nessa ilha, conhecendo desde o básico até a dicas e informações mais avançadas.

Como chegar a essa ilha?

– Registando-se no SL a partir deste site e fazendo o download dum dos viewers ou acedendo à ilha através deste link da Ilha.

– Já dentro do programa do Second Life:

      – usando o Mapa – basta escrever Tagus no local destinado à ilha;

      – Indo ao “Search” / “procurar” e escrever Tagus ou Portugal na janela dos “Locais”.

Na ilha todos têm dicas de como mudar a aparência, comunicar, movimentar-se, media, comprar, freebies, camping, money tree… além de poderem usar todos os recursos da ilha na totalidade… Têm também possibilidade de chamar pessoas disponíveis a vos ajudarem a dar os primeiros passos.

A ilha está aberta a todas as comunidades e falantes do português. Todos aqueles que tiverem interessem em apresentar e divulgar lá a sua comunidade, grupo, land ou até mesmo o vosso trabalho, basta enviarem um IM a Afrodite Ewry para combinar pormenores. Assim como todos aqueles que entenderem ajudar esta ilha, incluindo nos seus sites o link para o nascimento aqui.

Agradecemos desde já à TSF a inclusão do link no seu spot da entrevista sobre o Second Life, de tal modo que já nos preparámos para receber os seus visitantes…

Ilha de Ajuda em Português

Ilha de Ajuda em Português

Permalink 2 comentários

Reportagem da TSF sobre o Second Life

11 Fevereiro 2009 at 11:56 pm (Actividades, EVENT, second life, VIDEO) (, , , , , , )

“Esta semana, a Reportagem TSF viaja pelo mundo virtual do Second Life. Trata-se de um espaço na Internet, onde é possível comunicar, concretizar alguns sonhos e até fazer negócios. Entrevistámos o “pai” do projecto, Philip Rosedale, e seguimos viagem por diversas “ilhas” onde há cada vez mais portugueses. 

A Segunda Pele” é uma grande reportagem de Ricardo Oliveira Duartecom sonoplastia de Herlander Rui. Passa na TSF esta quinta-feira, 12 de Fevereiro, depois do noticiário das 19 horas e no domingo seguinte, depois do noticiário das 10 horas.”

Podem assistir aqui ao vídeo da apresentação da reportagem.

Permalink Deixe um Comentário

A Palestra de Manuela Nogueira

8 Fevereiro 2009 at 6:42 pm (Uncategorized) (, , , , , , )

Second Life

Foi com prazer que aceitei este convite de participar num evento dirigido também para o público virtual da Second Life. Tinha duas opções: ou escrever uma espécie de texto analítico sobre a Second Life ou falar de meu Tio Fernando Pessoa.

Pela circunstância de ainda estarmos a celebrar os 120 anos do seu nascimento era óbvio que a escolha era esta.

Acontece porém a circunstância de ter acabado de escrever um texto em inglês para levar a Utreque, na Holanda, a um Festival pessoano. Houve então uma ideia que me assaltou e depois se fixou para poder dialogar convosco.

O tema dessa palestra versa a questão: Instalação e Contestação.

É evidente que Fernando Pessoa começou desde os anos de Escola em Durban a contestar. Temos provas dessa contestação. Explicando essa contestação que mais tarde levou o poeta a criar várias personagens, digladiando em muitas frentes diversas, pensei que a ideia para a minha primeira abordagem para a Second Life seria sugerir que Fernando Pessoa foi, sem o saber, um pioneiro de um mundo virtual.

Para ele uma vida regular seria uma monotonia e assim criou uma assembleia de personalidades imaginárias com vidas distintas.

Penso que este autor português, traduzido em trinta e seis línguas, foi o primeiro inspirador de uma espécie de Second Life .

A criação de vários heterónimos e personagens, sendo uma, mulher (Maria José, a corcunda que amava um serralheiro), promove-o a um precursor de vidas virtuais. Sempre adiantado e fora do seu tempo, ele deu vida a várias criaturas que se definiam com identidades próprias, com culturas e pontos de vista opostos.

O drama – entenda-se peça teatral – conjunto de personagens com características diferentes que estabelecem diálogos ou solilóquios.

Quem conhece só uma parte restrita da obra de Fernando Pessoa pode ser levado a crer em afirmações que Fernando Pessoa nunca partilhou senão naquele mundo virtual.

Vamos imaginá-lo na nossa época.

Que divertido acharia manobrar essas marionetas intelectuais num ambiente que ele próprio criaria! O uso de um computador, da internet e a possibilidade de ter um Blog facilitariam o seu desempenho múltiplo. Talvez então tivesse sido possível dispor de tempo para casar com Ofélia, ter filhos, viajar num carro seu, um chevrolet. (mencionado no poema de Álvaro de Campos: Tabacaria.)

Ofélia, a quem escreveu tantas cartas de amor.

A família do poeta teria vivido descansada. É esta a parte que me toca mais profundamente. Os investigadores teriam acesso online e não teriam a preocupação de pedir autorização para consultar o seu espólio. Esse facto, daria à família que já há dezenas de anos os atendem, por amor ao poeta e à divulgação da sua obra, uma qualidade de vida que não é a que têm tido. A obra na Internet seria a original. A expansão da obra, a grande conquista da globalização por meio da técnica. O que aí escrevia mostrava a sua criatividade, o importante de uma comunicação célere e não o suporte onde fez os seus manuscritos.

Seria fácil ouvi-lo falar da sua família

Também seria reduzido os problemas que os investigadores têm com o seu espólio,! Não haveria tantos dactiloscritos e listas infindáveis de projectos. Se Fernando Pessoa fosse minimamente hábil, teria o seu espólio em pastas e as cópias definitivas em dossiers na internet. Tudo mais rápido, mais eficiente.

Haveria na Second Life várias figuras parecidas, mas distintas dizendo seus versos. Um Caeiro aloirado e de aspecto débil vivendo olhando a natureza e entendendo seus segredos e enredos e um Álvaro de Campos, vestido à inglesa com hábitos de Glasgow e chá ás cinco num café no Rossio enquanto esperava por Ofélia. Este Álvaro de Campos talvez se referisse ao seu antecessor Alexander Search que Pessoa trouxera na mala de viagem de Durban e de quem herdara a loucura das odes gigantescas, vociferantes, geniais.

Depois aparecia o Ricardo Reis com as sua odes esperando por Lídia e falando um pouco à moda do Porto. Ele sabia que era o homem de confiança do poeta Fernando Pessoa e que fora incumbido do prefácio para o livro de poesia de Alberto Caeiro, e para além disso tinha vários projectos de traduções. A sua cultura clássica assim o possibilitava.

Tal como possibilitava que proclamasse que preferia rosas; à pátria.

O Bernardo Soares, empregado de escritório, que alguns amigos de Fernando tomaram por ser seu sósia, aparecia bem distinto do seu autor que sempre gostou de vestir bem e de parecer um gentleman. Este lisboeta das ruas da Baixa corporizou num Diário o aparente quotidiano onde os pensamentos mais transcendentes pareciam brotar dum pacato e anónimo cidadão. O seu “Livro do Desassossego”, best seller em vários países, não é só um desassossego em SSS, é um mastigar de sensações, desejos, incapacidades humanas onde o espírito adormece e resplandece.

Sobre arte dizia assim: TEXTO do “Livro do Desassossego”

Se Fernando se cansasse destes seus cabides pensantes podia lembrar-se das personagens antigas e divertir-se com as suas epidémicas aparições e desaparecimentos. Com as novas tecnologias, não seria possível ás inúmeras personagens morrer e renascer sem se explicarem, não podiam desdizer-se com tanto desplante. Não lhes era permitido desaparecer para parte incerta. Todo o “seu drama em gente” precisava obedecr a um esquema. Estariam na coluna dos Favoritos e de lá não fugiriam. Que paz para os investigadores!

Certamente Caeiro viria a construir uma casa em Tavira na Av. Jacques Pessoa, seu antepassado. Assim ficaria perto e podia visitar as suas tias do lado paterno – a Tia Lisbela e a Tia Maria da Cruz.

O Álvaro de Campos iria com facilidade a Inglaterra onde encontraria seus irmãos Luís e João. Até talvez se deixasse seduzir pela irmã de sua cunhada Eileen, a Madge. Aquela mulher enigmática que o atraíra nas vindas a Lisboa e que logo partia sem uma explicação plausível. Uma louca, achava a família!

Talvez o Álvaro deixasse de ser tão implicativo com Ofélia, porque no seu íntimo, sabia que Fernando ardia com desejos que o incomodavam. Desejos que, se concretizados, o tornariam um homem casável e tributável.

O neo-paganismo de Ricardo Reis talvez fosse atenuado porque até os deuses andavam a viver tempos difíceis. Darwin, Dawkins, Russel e outros desmancharam um certo crochet de religiões. Deus continuava Deus para muitos, mas assemelhava-se, por vezes, ao deus dos maçons: o arquitecto do mundo.

A vinda do mago Alister Crowelly a Lisboa, sem ter sido convidado por Pessoa, poderia ser apenas imaginada. Já não havia PIDE que o perseguisse e não seria necessária a encenação do seu suicídio na Boca do Inferno. Perdia-se uma história deliciosa! Enfim, as sujeições políticas podem gerar cenários cómicos e também inspirações de elevado valor artístico. Incongruências inexplicáveis!

O poema estático “O Marinheiro” não poderia ser tão estático porque as veladoras seriam substituídas por bailarinas, talvez discípulas de Eva Bauch que diriam suas falas monocórdicas arrastando-se pelo chão. Fernando Pessoa não ficaria de boca aberta porque nada o espantaria. O mundo de hoje nada tem de comparável com os alvores de 1900.

Nunca saberemos se essa disciplina informática e virtual lhe tolheria o génio que ás vezes se desenvolve na anarquia.

Interrogamo-nos se os seus estudiosos, depois da sua morte, sentiriam o mesmo fascínio por uma obra arrumada onde não houvesse constantes dúvidas, interpretações, armadilhas, registos dispersos.

Teria o autor o privilégio de ser apreciado em vida e compensado pela sua arte?

Hoje, a informação dos media é muitas vezes um começo de uma novela policial, onde há presumíveis arguidos, tráfico de influências, corrupção, etc. Só os repórteres de guerra continuam nos cenários onde a sua vida corre riscos. Os outros só correm o risco de desdizerem-se, o que não os incomoda. Este facto anda sempre colado à presunção humana e ao negócio.

Fernando Pessoa que não apreciava ditaduras devia se interrogar sobre a gripe das democracias. Esse facto talvez o faria eleger outro heterónimo, talvez um Viriato Portugal.

Assim, no mundo virtual da Second Life, apesar das intrusões dos malefícios da vida real, impossíveis de erradicar, consegue-se recriar uma pretensa vida que o utente organiza e goza. Ele foge ao mundo ao entardecer quando regressa a casa só. Ou onde não encontra os afectos ou interesses que fazem da casa um verdadeiro lar.

Há quem veja até à exaustão os repetidos noticiários onde fica presumido que o mundo é povoado de burlões, assassinos, corrompidos. Há quem conversa ao telefone horas perdidas para libertar seus diabinhos, quem tome soporíferos para no sono encontrar não só o descanso mas a fadiga de viver. A Second Life por alguma razão tem sucesso e seguidores. São residentes nos seus palácios de fantasia, recebidos em auditórios para os seus trabalhos silenciados no mundo real. É um mundo fictício que pode compensá-lo das injustiças, dos desamores. Pode comprar, vender, pode chegar a países onde nunca tem esperança de visitar.

Como todos os sonhos que o homem tenta erguer, pode também o levar a desilusões, frustrações, más operações financeiras.

É uma facção moderna das reencarnações que aliviam tenuemente a ideia da morte.

E, agora, meus caros estou à vossa disposição para responder às perguntas que desejarem fazer-me

Manuela Nogueira

Janeiro de 2009

Permalink Deixe um Comentário

Next page »